Trabalho há 30 anos em Farmácia. Já trabalhei  de noite e de dia, feriados, Natais, Páscoas… estou sempre disponível para responder a todas as dúvidas, as vezes que forem necessárias, sem marcação previa. Já fiz curativos, dei injeções e fiz domicílios, sempre a custo zero.  Durante décadas as farmácias sustentaram o SNS, substituindo-o a maior parte das vezes. E neste momento sinto medo pelo meu futuro e o dos meus filhos.
José Manuel Mendes, 26.09.2012
Moro mesmo ao pé da Farmácia São Pedro, no Montijo, e, quando algo não está bem comigo ou com algum familiar ou amigo, é a ela que eu me dirijo e nela sempre encontrei um apoio profissional espetacular de todos os seus funcionários. É uma grande perda se esta e tantas outras farmácias como ela fecharem. A quem vamos socorrer no momento da dor? O “amigo” mesmo ali do lado mudou-se. E agora?
Leonor de Lurdes Alves Pereira, 25.09.2012
Não podem fechar as farmácias porque fazem muita falta às pessoas. Quem tem farmácia à porta, se fechar, onde vão buscar os medicamentos? Vão de táxi ou de transportes públicos buscá-los a outras farmácias mais longe? Muitos vão ficar sem medicamentos, porque já são caros e as reformas são pequenas e não têm dinheiro para gastar em transportes. Pensem nisso.
Sónia Maria Oliveira Moreira, 25.09.2012
Quando temos ilustres personalidades que dizem: " Não encontrou nem nunca encontrará um Governo que tenha feito tanto, em tão pouco tempo para sanear as contas da Saúde SEM prejudicar os cidadãos" está tudo dito! Por esta teoria, as cerca de 100 000 famílias dependentes deste sector  NÃO SÃO CIDADÃOS deste País.
Maria Helena Carvalho, 25.09.2012
Acabei o curso este ano. Paguei pelo diploma, inscrevi-me na Ordem, pago as quotas... e no entanto não estou a trabalhar.  Trabalhei algum tempo numa farmácia insolvente em condições bastante duvidosas pelo que tive que me vir embora. De momento, é completamente impossível arranjar emprego, pelo menos emprego digno. Foi para isto que estudei?
Vera Branco, 25.09.2012
Temo que só quando acontecer como ao burro do inglês, que já se estava a habituar a não comer ... morreu, é que os Srs. governantes acordem! Nessa altura já é tarde.
Maria Carvalho, 25.09.2012
Estão a destruir as farmácias porquê? Somos o sector que mais impostos pagava ao Estado, que adiantava medicamentos ao utente, que melhor tratava o utente, que tinha total disponibilidade para tapar os buracos, e falhas, do sistema de Saúde. E agora já não valemos nada? Por questões económicas do País mandam-nos para a falência, esquecendo que as farmácias de Portugal estavam ao mais alto nível da Europa? E mais não digo porque senão nunca mais acabava de falar do desgosto que sinto, neste momento, pelas décadas de trabalho dedicado a farmácia de oficina, sempre executados com ética e moral.
Vítor Calado, 25.09.2012
O que queremos evitar é o encerramento de farmácias. Queremos evitar contribuir para o engrossar da fileira do desemprego.
Maria Cortes Pinto, Farmácia Cortes Pinto, 24.09.2012
Com a estrutura pesada que temos nas farmácias é impossível ter a porta aberta. Estamos a pôr do nosso capital próprio na farmácia para a farmácia não fechar.
Isaura Martinho, Farmácia Marvila, 24.09.2012
A farmácia está de luto. E o povo revolta-se. Porque isto é uma injustiça.
Utente Farmácia da Boavista, 24.09.2012

Páginas